Página Inicial EPUL
Quem Somos? Que Apoio Damos? Contactos Informações Úteis Garantia Técnica dos Edifícios
Imprensa escrita
Contactos Úteis
Trânsito
Adobe Reader
(download)
Winzip
(download)
Sapo
INFORMAÇÕES ÚTEIS - CONFORTO TÉRMICO E ACÚSTICO

O conforto (como a saúde) depende de um conjunto de factores cuja conjugação assegura determinado grau de satisfação e bem-estar. Esses elementos, uns são culturais e psicológicos, variando de pessoa para pessoa. Outros têm carácter objectivo podendo ser modificados. Entre estes está a utilização da habitação.

Podemos afirmar com segurança, que o conforto é conseguido através da conjugação de três elementos:

  • Térmico/Humidade
  • Acústico
  • Visual


Conforto térmico

Capacidade do alojamento não atingir temperaturas extremas, dispensando a utilização de equipamentos de aquecimento ou arrefecimento. Tomam-se como valores médios de conforto térmico e que dependem da época do ano, da utilização da casa, do vestuário:

  • Temperatura 18/22 (° C)
  • Humidade Relativa 40/60 (%)

Se possível, tenha em sua casa um aparelho que lhe indique os valores de temperatura e humidade relativa dentro da sua casa.

As características construtivas da "envolvente exterior" (paredes, lajes, caixilharia) conferem-lhe um nível "médio" de conforto térmico. A localização da casa no prédio (altura, exposição solar) confere-lhe características específicas de exposição climatérica.

As fachadas viradas a Sul têm mais luz e são mais quentes no Inverno. No Verão esse aquecimento é inconveniente.

As fachadas viradas a Norte e Nascente são as mais frias durante o Inverno e é onde podem aparecer condensações. Tenha especial atenção ao aparecimento de fungos, que devem imediatamente ser limpos. As paredes orientadas para Norte são mais ventosas, durante o bom tempo (Em condições de Altas Pressões). As paredes viradas a Poente e Sul (Em condições de Baixas Pressões) são as mais expostas em condições de mau tempo.

Existe uma certa "margem de manobra" para melhorar as condições de conforto térmico. Eis alguns critérios:

  • Utilizar sistemas de ar condicionado com função de desumidificação incorporada, porque permitem melhor ajuste aos valores médios de conforto térmico.
  • Bom conhecimento dos factores que condicionam o "conforto de Verão" e o "conforto de Inverno", adoptando medidas de gestão que os optimizem, ou seja: "tirar o melhor partido das características construtivas e de exposição da sua casa". É a solução mais económica;
  • Se o tempo estiver muito quente durante o dia, manter os estores, as janelas e os reposteiros fechados. Ventilar a casa ao fim da tarde e de noite.
  • Instalar cortinas de pano grosso nas janelas. Estas, isolam o frio e o barulho.
  • As alcatifas ou tapetes de lã absorvem a humidade ambiente.
  • As paredes frias podem ser isoladas interiormente com pladur, por exemplo.
  • Aquecer a casa moderadamente. Quanto mais frio e húmido for o ambiente maior a possibilidade de ocorrerem condensações e aparecerem os indesejáveis bolores. O ar quente tem a capacidade de armazenar mais humidade e evitar as condensações.


Excesso de Humidade

O excesso de humidade faz com que a casa seja insalubre. A humidade deve por isso ser controlada.

Humidade em Casa

Com os efeitos das condensações (formação de pequenas gotículas de água nas zonas frias)



Aparecem os indesejados bolores:

 

Como diagnosticar e eliminar

Humidade devido à construção: Os materiais de construção habitualmente utilizados são fabricados à base de água (betão, reboco, estuque, etc.). As construções recentes libertam cerca de 3000 a 5000 litros de água, que têm evidentemente de se evaporar, o que poderá durar de meses a anos.

Que fazer?

Quando mudar para uma casa nova, e se for possível antes mesmo de começar a habitá-la, aqueça-a moderadamente e areje-a regularmente, ou melhor, ainda, permanentemente. Esta consideração pode levar ao pressuposto de que se tratará de um desperdício de energia. Trata-se de uma necessidade para prevenir despesas futuras mais avultadas. Antes de pintar as paredes, deixe passar pelo menos seis meses. O mês de Setembro é o ideal para pintar a casa.

Sintomas

A humidade manifesta-se por vezes repentinamente, por meio de manchas á volta ou por baixo dos pontos de água. Estas manchas locais aparecem principalmente nas paredes do lado dos ventos dominantes, e acentuam-se a seguir a chuvas intensas.

Ventilação das habitações como forma de prevenção das condensações

No ar ambiente das habitações, existe carga orgânica (micro-organismos) que encontram uma atmosfera propícia para o seu desenvolvimento nas zonas de condensação (preferencialmente zonas frias), fazendo aparecer os indesejáveis bolores. Logo que sejam vistas zonas com os primeiros fungos (pontos verde escuro) ou manchas de condensação (pequenas auréolas de cor cinzenta ou castanha) devem ser de imediato limpas. Para evitar o seu aparecimento, promover a ventilação da habitação, abrindo ligeiramente as janelas. Tal procedimento parece ser incompatível com as condições de Inverno, não havendo outros meios de contornar este problema que não sejam os acima indicados. No entanto, a entrada de ar novo permite o armazenamento de humidade (vapor de água) no ar ambiente da habitação. De notar que o ar novo pode em certas alturas do ano estar fortemente carregado de humidade devendo a actuação de prevenção de condensações objectivar-se na eliminação das fontes de vapor de água.

Pelo acima exposto pode-se inferir que a prevenção das condensações (presença de água proveniente do vapor de água do ar ambiente que condensa nas zonas frias) depende fortemente da utilização da habitação.

Notas:

  • Evitar a utilização de aquecedores com botija de gás que promovem o aumento da massa de vapor de água no ar ambiente devido à combustão do gás, ele próprio contendo vapor de água, que satura o ar ambiente das habitações.
  • Evite guardar roupa húmida e sapatos húmidos dentro de armários e/ou roupeiros.
  • A roupa lavada em lavandaria deve ser arejada antes de ser arrumada.


Conforto Acústico

Capacidade de a habitação reduzir, para níveis "confortáveis" os sons e ruídos no seu interior. Sejam os provenientes do exterior, sejam os gerados no próprio interior.

O conforto acústico está (mais do que o conforto térmico) ligado a hábitos e práticas culturais.

As características construtivas da "envolvente exterior" da sua casa determinam um nível médio de conforto acústico. O nível de ruído da zona, e os hábitos dos vizinhos são factores determinantes no conforto.

A baixa densidade de trânsito automóvel e o afastamento das fachadas dos edifícios relativamente à rua melhoram o conforto acústico.

Se possível, organização dos apartamentos, nos prédios, de modo a não colocar em contiguidade compartimentos barulhentos e calmos (cozinhas/ quartos, por exemplo).

Paredes exteriores e lajes densas entre apartamentos, também melhoram o conforto acústico.

O isolamento à transmissão dos sons para o interior da habitação melhora com o "peso" da envolvente: a interposição de móveis pesados (ex. estantes) em paredes, reposteiros grossos na caixilharia, revestimento da porta de entrada, etc.

Os sons mais incomodativos para o vizinho de baixo provêm da percussão sobre o pavimento: andar, arrastar cadeiras, etc. Coloque tapetes ou alcatifa e sugira o mesmo ao seu vizinho de cima. As canalizações e autoclismos em mau estado produzem sons desagradáveis. Procure conservá-los de modo a evitar os ruídos.

Voltar

 
Vector21.com